O INVENCIONISMO RELIGIOSO ENTRE OS EVANGÉLICOS

em domingo, 9 de abril de 2017

Presbítero Bennet Brandon


O mundo evangélico atual tem sido permeado por uma guerra de invenções litúrgicas e práticas religiosas extra bíblicas. São artifícios humanos criados e incorporados ao culto. Há grupos evangélicos tradicionais que seguem invenções humanas mais antigas sem se darem conta disto e grupos evangélicos mais novos que seguem invenções atualizadas, na maioria das vezes sem se darem conta disto. Abordaremos algumas destas invenções e práticas nas próximas linhas.

1 - Louvor estranho: O louvor das igrejas evangélicas está cada vez mais moderno, mais liberal e menos bíblico (Confira aqui).
2 - Negócios religiosos: Nos últimos anos tem surgido vários ramos de negócios lucrativos para empresários religiosos e muita diversão para os crentes modernos. (Confira aqui).
3 - Divórcio liberado para a cristandade: Em algumas casas evangélicas o divórcio tem sido permitido e promovido sob quaisquer circunstâncias, como se fosse algo mais comum. (Confira aqui).
4 - Culto estranho: Todos os dias aparecem novos pregadores, os quais criam novos métodos totalmente estranhos ao modelo do culto racional descrito nas escrituras. (Confira aqui).
5 - Venda de amuletos e objetos similares: O sincretismo religioso e a venda de mercadorias no templo deixariam Johann Tetzel (o mais famoso cobrador de indulgencias da história do catolicismo romano) com o papel de mero coadjuvante, se a realidade fosse um filme. Os comentários dos descrentes sobre este assunto envergonham o mundo evangélico. (Confira aqui).
6 - O pastor pode ser membro da maçonaria: Existem igrejas evangélicas cujos ministros são membros ativos da maçonaria. Você gostaria de ser pastoreado por algum ministro que tenha aderido este tipo de comunidade? (Confira aqui).
7 - Batismo Infantil (pedobatismo) em igrejas evangélicas: O famoso preletor reformado Paul Whasher disse em uma conferência reformada que o batismo infantil foi o bezerro de ouro da reforma protestante. O pregador Spurgeonista deixou o público tipicamente reformado, bastante contrariado. (Confira aqui).
8 - Batismo nas águas inovador: Imagine uma nova maneira, bastante divertida, para se batizar os crentes (batismo no toboágua), afinal para muitos a vida cristã não passa de um parque de diversões. (Confira aqui).
9 - Crença de que nada pode deter um eleito: Pior que o triunfalismo neopentecostal, este tipo de crença tem feito milhões de vítimas mundo afora, mas principalmente nos EUA e na Europa. Alguns grupos brasileiros também estão aderindo tais conceitos eclesiásticos. Os adeptos desta crença dizem que "O homem não tem escolhas e muito menos livre-arbítrio, se ele peca ou se vive em santidade é tudo forçado e determinado por Deus. Para os eleitos nada disto importa, pois pecando ou não, o que vale é a eleição." - Segundo os defensores desta tese o pecado é secundário e jamais interfere na eleição feita por Deus - O invencionismo cresce mais do que o mato na beira da estrada - (Confira aqui).
10 - Lutas de MMA na igreja: No final de semana o cristão pode ir até a igreja para assistir uma luta de MMA entre os obreiros.(Confira aqui).
11 - Comida e pagode na igreja: Se o caro leitor gosta de pagode e comida boa, basta ir a algumas igrejas que promovem eventos desta natureza. (Confira aqui). 
12 - O ministério pastoral apascentador feminino: Este ofício tem sido  legitimado sob qualquer pretexto e não apenas nas situações especiais de extrema necessidade, como a falta de homens preparados e disponíveis para o exercício do sacerdócio. (Confira aqui).
13 - A obrigatoriedade de curso de teologia para o exercício do ministério eclesiástico ou oficio sacerdotal não tem base bíblica: Esta exigência surgiu no catolicismo romano e tem sido copiada por várias igrejas protestantes. No catolicismo as escolas teológicas eram até mais coerentes, pois tinham o objetivo único de resguardar as doutrinas católicas - mesmo as equivocadas. No protestantismo atual as escolas teológicas adquiriram a fama de criar castas superiores e níveis eclesiásticos, entrando em conflito direto com textos bíblicos como Mateus 11:25, I Coríntios 2:4-5 e I Coríntios 2:13-15. As denominações evangélicas não conseguem colocar em prática a ordem bíblica clara e inequívoca de 2 Timóteo 2:2, segundo a qual os crentes precisam de instrução equilibrada e bíblica. Os aspirantes ao episcopado são enviados para escolas teológicas, cujos professores são ateus, inimigos do evangelho e críticos do cristianismo. O resultado disto tudo é o tipo de protestantismo decadente que surgiu nos últimos anos nos EUA e pela Europa. A ignorância conduz ao misticismo, a intelectualidade divorciada do temor do Senhor conduz ao lamaçal do ateísmo. A "comissão geral de ministros" apenas confere o título a alguém, quem reparte o dom ministerial aos homens (segundo as escrituras) é o próprio Senhor. Do mesmo modo uma faculdade teológica não capacita nenhum homem para o ministério bíblico instituído por Cristo no novo testamento. As escolas teológicas apenas concedem ao ministro certa bagagem de informações, úteis e necessárias ao gerenciamento da casa de Deus. A grande miséria dos sistemas religiosos atuais é terem ministros diplomados que atuam sem o autentico chamado de Deus ao ministério pastoral apascentador. O caro leitor deve se lembrar da lista dos "brilhantes teólogos da maconha" (todos os ilustres membros da lista exerciam o cargo de "pastor", "bispo" ou "reverendo" em igrejas evangélicas brasileiras) os quais (no inicio da década passada) redigiram um documento e o levaram às autoridades civis brasileiras, pleiteando uma cruzada político religiosa pela descriminalização do uso da maconha e outros "compostos" proibidos... Tais homens tiveram a "melhor formação acadêmica", mas a pergunta que não se cala é a seguinte: Eles tiveram um chamado real de Deus para o exercício do ministério? A árvore se conhece pelos frutos...
14 - Ministério pastoral submisso ao rebanho: Os membros da igreja escolhem o pastor do rebanho por voto e também podem retirá-lo se ficarem insatisfeitos, isto é, quem apascenta deve agradar ao apascentado, se corrigi-lo pode ser demitido. Este modelo tem estado presente em algumas denominações brasileiras.
15 - Exigência Obrigatória do dízimo: Não há uma palavra sobre dízimo no novo testamento endereçada à igreja, mas ofertas, sim. O dízimo é da lei, mas Abraão e os patriarcas deram voluntariamente o dízimo e foram abençoados, mas o dízimo não pode ser cobrado, é um ato de fé e não uma imposição.
16 - O pastor presidente é o dono da denominação e dono das ofertas e dos dízimos: Isto tem sido uma regra comum em certas denominações brasileiras.
17 - Teatro durante os cultos: Não tenho nada contra os "artistas de igreja", mas não creio que o ambiente do culto a Deus seja apropriado para tais eventos. 
18 - Coreografia durante os cultos: Nada contra as expressões artísticas do próximo, mas na Bíblia Sagrada não há sequer um caso de crentes bailando dentro do templo. 
19 - Investigação de conduta para saber se a pessoa pode ser membro da igreja: Algumas denominações usam esta prática em sua prática cotidiana. 
20 - Aderir votos a dinheiro em campanha nas igrejas: Deus não faz trocas ou barganhas, mas algumas denominações induzem seus membros à compra da bênção! 

Estes são apenas alguns exemplos de práticas adicionais ao modo de vida cristão, dentre as mais conhecidas e dentre aquelas que mais geraram polêmicas no cenário evangélico brasileiro, mas a lista de invenções litúrgicas é absurdamente grande e certamente o nobre leitor deve conhecer muitas invenções religiosas que não foram aqui relacionadas.

Que o bondoso Deus de Paz nos guarde em Cristo!
Topo